quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Escrever, registrar, blogar, historiar, provocar...


Depois de muito tempo "fechado para balanço" onde eu continuei escrevendo, porém, de forma particular, este meu blog volta a ser um espaço de construção, desconstrução e reconstrução. Ou um espaço para devaneios sobre o nada.



Não, este meu blog não pretendia ser público, mas o é, mesmo não querendo ser.

Quem escreve, registra suas palavras para si próprio ou para os outros???

Será que realmente escrevemos para que seja lido?

Qual a abrangência de palavras registradas num diário virtual??


Esquecimento?

Eu arquivo?

E eu me inspiro com esta minha foto de uma pequena partícula do acervo do Arquivo Público do Rio Grande do Sul (APERGS)... Onde estão as pessoas que escreveram estes manuscritos? Quem leu e quem ainda os lerá? Ficarão apenas como registros para o trabalho dos Historiadores?



E junto a isso, um trecho do Arnaldo Jabor desta semana:


"Tem gente que fala para mim: "Faz um blog, faz um blog!" Logo eu, que já sou um blog vivo, tagarelando na TV, rádio e jornais... Jamais farei um blog, esse nome que parece um coaxar de sapo boi. Quero o passado. Quero o lápis na orelha do quitandeiro, quero o gato do armazém dormindo sobre o saco de batatas, quero o telefone preto, de disco, que não dá linha, em vez dos gemidinhos dos celulares incessantes.



Comunicar o quê? Ninguém tem nada a dizer. Olho as opiniões, as discussões "on line" e só vejo besteira, frases de 140 caracteres para nada dizer. Vivemos a grande invasão dos lugares-comuns, dos uivos de medíocres ecoando asnices para ocultar sua solidão deprimente.
O que espanta é a velocidade da luz para a lentidão dos pensamentos, uma movimentação "em rede" para raciocínios lineares. A boa e velha burrice continua intocada, agora disfarçada pelo charme da rapidez. Antigamente, os burros eram humildes; se esgueiravam pelos cantos, ouvindo, amargurados, os inteligentes deitando falação. Agora não; é a revolução dos idiotas "on line".


Esta é a fonte para quem quiser ler o texto do Arnaldo Jabor na íntegra, inclusive na parte final onde ele fala sobre os textos que dizem ser de sua autoria, mas que não são... ( http://www.otempo.com.br/otempo/colunas/?IdEdicao=1469&IdColunaEdicao=10007)
Share |

4 comentários:

Eder Santos Carvalho disse...

Parabéns pelo novo blog.Está ótimo.bons textos,layout.Parabéns

Potira disse...

Obrigada Eder, que bom que tu gostou...

O blog tava mesmo precisando de uma reforma...

hihihihi

=)

Matheus Ferreira disse...

Seguindo a sistemática imposta pelo comentário que V. Exa. deixou no meu blog, a partir do qual me sinto extremamente honrado, ressalvo/ressalto uma frase:

"Logo eu, que já sou um blog vivo, tagarelando na TV, rádio e jornais... "

Pois, Potira é um blog vivo.
Eu sei, e todos os que sentam/sentaram perto de nós no ônibus da faculdade. Sabem!
Só que o teu "tagarelar" ainda não chegou na Tv, rádio ou jornal.
Aí eu não sei o porquê.
Se o BLOG VIVO não aceita ou se há incompetentes nos setores de comunicações da mesma forma que no "mundo da bola".
Principalmente no meu time. Aquele da Azenha: Chamado Grêmio.
Que está dando um título ao seu rival.
Se dá uma mãozinha para o rival, lógico. Até duas. Porém, para afundar mais e mais.

Confesso, fiquei com medo de passar o link do meu blog. Bah, pensei que iria tomar cacetadas! Mas, até agora, estou bem. Caso contrário não estaria em pleno vigor para escrever esse singelo comentário.

Beijos,
Matheus Ferreira

Potira disse...

Matheus querido,

Continua escrevendo guri...

Que bom que tu também gostou do meu blog. Vamos continuar postando todas as coisas malucas que passam pelas nossas cabeças e compartilhar com os amigos pela web...

Seguiremos nosso trilho e espero continuar lendo teu blog e papeando contigo no bus pra universidade...

Sobre futebol, eu sou prá lá de um zero, porque não tenho a mínima idéia sobre futebol e nem sequer cheguei a escolher um time...

Mas vamos seguindo trocando idéia e blogando...

Nós vamos dominar o mundo Matheus. hihihih

=)

Related Posts with Thumbnails