segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Antes que eles deixem de existir ! ?





Via IdeiaFixa

Share |

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Olhares oblíquos e penetrantes



"A Ásia também tem a sua voz atraente, o seu calor úmido no qual os corpos e as almas se dissolvem, os seus olhares oblíquos e penetrantes. A Ásia também tem a sua arte sublime, os seus risos, os seus mitos, as suas vozes submissas, os seus pés descalços,  a sua poeira e as suas flautas.


Mas há um mal-estar enorme naquele calor úmido, seus olhares de aço são severos demais, assim como há história demais naqueles ritos e mitos, miséria demais naqueles pés descalços e naquela poeira.(...)"

(DE MASI, Domenico. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. p. 334)
Share |

Educar para o ócio...

"Educar para o ócio significa ensinar a escolher um filme, uma peça de teatro, um livro. Ensinar como pode estar bem sozinho, consigo mesmo, significa também levar a pessoa a habituar-se com as atividades domésticas e com a produção autônoma de muitas coisas que até o momento comprávamos prontas. Ensinar o gosto e a alegria das coisas belas. Inculcar a alegria."


(DE MASI, Domenico. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. p. 325)
Share |

Se sentir em casa...


"O cigano se sente em casa em qualquer lugar."

(DE MASI, Domenico. O ócio criativo. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. p. 164)
Share |

domingo, 4 de agosto de 2013

See India

Share |

Lenços de algodão com bordado inspirado em bokeh





Share |

Bangles bokeh


Share |

Os gênios do Oriente: Matemática

Documentário dublado sobre O Oriente e a História da Matemática

Share |

Sadhus - fotos e documentário




Fotografias da série Holy Men do fotógrafo Joey  Lawrence.

Share |

terça-feira, 30 de julho de 2013

India: Decoration, Interiors, Design - Henry Wilson

Só tenho uma coisa a dizer: quero muito este livro!!!




Share |

terça-feira, 4 de junho de 2013

"Uma mistura de Power Rangers com Menudos"


Teu amigo te envia "True Romance" do Citizens com um vídeo muito engraçado. 

Segundo definição do amigo, é "uma mistura de Power Rangers com Menudos".

Então você repara que é uma montagem com um trecho de filme telugu dos anos 80, Pasivadi Pranam.

Share |

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Pontes vivas de Meghalaya

Enquanto nossos engenheiros e construtores ocidentais com seus cálculos e estudos "científicos" não conseguem construir uma ponte que resista por três gerações...


Os habitantes de Meghalaya, na Índia, cultivam pontes vivas que resistem as fortes chuvas locais e que podem durar 500 anos. Eles plantam mudas de Ficus Elastica (uma espécie de figueira) nas margens dos rios e moldam para que as raízes se entrelacem e fiquem cada vez maiores e mais fortes. 




Share |

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Niyaz

Sim, eu sei... Estou deixando o blog meio de escanteio.

Enquanto não volto a postar aqui, curtam uma musiquinha de um trio iraniano que eu estou curtindo...

Share |

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O que sempre esteve lá...

"Milan Kundera comenta (em L'Art du roman, 1986): "Escrever significa para o poeta romper a muralha atrás da qual se esconde alguma coisa que 'sempre esteve lá'." Sob esse aspecto, a tarefa do poeta não é diferente da obra da história, que também descobre, e não inventa: a história, como os poetas, descobre, em sempre novas situações, possibilidades humanas antes ocultas."

In BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. p. 231.

Share |

Nômades na encruzilhada das culturas

"Em vez de ser sem pátria, o segredo é estar à vontade em muitas pátrias, mas estar em cada uma ao mesmo tempo dentro e fora, combinar a intimidade com a visão crítica de um estranho, envolvimento com distanciamento - o que as pessoas sedentárias dificilmente aprendem." 

(BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. p. 236)

   Estive pensando sobre esta questão de estranhamento...

   Ao olhar para as coisas que estão ao teu redor como se fossem estranhas, creio que o contrário também seja válido. Algumas vezes temos uma estranha familiaridade com coisas que não são da nossa pátria, nem do grupo que nascemos.

   Será que estamos mesmo vivendo em uma encruzilhada de culturas e cada um de nós é um nômade que constrói sua identidade como uma colcha de retalhos do mundo?

   Por que esta bobagem bairrista de achar que o lugar de onde veio é o melhor do mundo e os outros estão aquém? Há alguma lei que nos obrigue a exaltar maravilhas do lugar onde nascemos? Sofreremos sempre algum tipo de punição quando ousarmos questionar e criticar algum aspecto da cultura "nativa"?

Share |

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Bombay Sapphire



Eis que pelas minhas andanças vislumbro uma garrafa azul linda no setor de bebidas da loja...

Me aproximei para ver melhor e me deparo com a Rainha Vitória azulada pela "safira de Bombaim".

Não era uma simples bebida azul... Era Bombay Sapphire, o melhor gim do mundo que este ano completa 251 anos!

Vai uma bebidinha aí? Pela glória da rainha?

Share |

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Prato com estampa de penas de pavão

Tapa na cara da sociedade este prato! Tapa na minha cara que fico fazendo piada com a marca brasileira que está comercializando o produto com um preço super em conta!

Achei coisa mais linda desse mundo! Imagina servir um bolo neste prato em uma festa com amigos?


Share |

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A cidade, o barulho e a noite...

Qual o som da sua cidade quando a noite cai? 
Como você silencia sua mente? 
Quais os sons que você identifica quando está tudo quieto na hora de dormir?
Quais murmúrios não te deixam dormir?



"Sabe-se que a cidade é um mar barulhento; já se disse muitas vezes que Paris faz ouvir, no meio da noite, o murmúrio incessante das ondas e das marés."

(BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. São Paulo: Martins Fontes, 1993. p.45)

Share |

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Mantra-rock ou Rock-mantra?

Essa é a Kula Shaker

Share |

Pulseiras indianas

pulseiras indianas

Todos os anos, são anunciadas as tendências da moda para as estações. As pulseiras ora são pequenas e discretas, ora grande e extravagantes...

Eu uso pulseiras indianas em qualquer ocasião em qualquer época. A versatilidade das opções permite que você escolha modelos, tamanhos e cores de acordo com seu gosto. Engana-se quem acha que pulseiras indianas são todas coloridas, claro que as coloridas são famosas, mas você pode encontrar pulseiras de uma só cor e ficar ainda mais linda com elas.

pulseiras indianaspulseiras indianas

Imagens: 1, 2 e 3

Share |
Related Posts with Thumbnails